Receita agregada estimula Louvre Hotels Group a apostar no Long Stay 15/09/2020




Próximo de ter todo inventário em funcionamento novamente, a Louvre Hotels Group vai testando alternativas para elevar as receitas. Depois de lançar o room office, a rede faz agora aposta no long stay em parte das unidades que administra. Ao todo, nove propriedades passarão a oferecer o produto, que terá preços bastante competitivos e convidativos.

Sandro Fonseca, Head Comercial no Brazil, diz que aposta faz sentido, sobretudo, pelas receitas adicionais que potencialmente proporciona. “Há uma série de oportunidades de geração de receita que gira em torno do hóspede mensalista, caso da área de A&B (Alimentos & Bebidas) e lavanderia, entre outras”, explica o executivo.Fonseca conta que, inicialmente, a rede pensou em lançar um pacote semanal. “É uma demanda majoritariamente corporativa, com trabalho e hospedagem dentro do hotel. São clientes que não têm interesse de ficar indo e vindo entre as cidades que moram e trabalham”, explica. “Ainda assim, no Rio, tivemos também uma procura local, pois as tarifas são bastante competitivas”, completa

Louvre Hotels Group: mais perto do breakeven.

Outra vantagem, segundo Fonseca, é o “colchão” de recursos que o produto possibilita, ainda mais em cenário de hotéis com breakevenmais baixo. “Se, antes, o ponto de equilíbrio médio dos nossos empreendimentos era atingido com 52% de ocupação, agora varia de 35% a 40%. Então, é um reforço e tanto para fazer a operação empatar”, avalia.

No recém-inaugurado Tulip Inn Rio de Janeiro Ipanema, por exemplo, os clientes long stay já garantem R$ 15 mil mensais em receita de hospedagem. “No Tulip Inn Sete Lagoas (MG), o hotel é maior e já temos oito hóspedes neste produto. Eles ficam praticamente o dia todo no quarto, o que tem feito girar bem o A&B”,acrescenta. 

Ainda assim, apesar os resultados satisfatórios e das perspectivas otimistas, a Louvre Hotels Group não levará o produto para toda rede. Além das unidades de Ipanema e Sete Lagoas, apenas Maceió, Goiânia, Brasília, Natal, São Paulo, Vitória e Itaguaí (RJ) terão a oferta de long stay. “Não lançamos em todas as praças, porque entendemos que não havia demanda para isso”, finaliza Fonseca

Fonte: Hotelier News